ohaned
Vamos sumir. Deixa o mundo desmoronar por entre as brechas de dedos entrelaçados. Apertados na mesma agonia, enrolados no mesmo tumulto. Raiva do tecido de nossas peles, que não rasgam ao menor esforço. Suga minha irracionalidade e apressa meus caninos. Retira minha alma pelo instinto, atrai meus venenos com a flauta do teu hálito, perfura o voo de um delírio no abismo do céu da minha boca. Eu quero você descobrindo que o sonho é tão real quanto um suspiro, que o não é tão atraente como um talvez abafado no travesseiro, engomado pelo pudor, amordaçado pela vergonha jogada no chão do quarto. Inconsequência é esquecer os desvios e desvarios dessa era de monotonia. Pinta a minha arte com teus cílios comprimidos entre as nossas pálpebras fechadas. Veste no teu corpo o tênue véu da entrega, do sentimento esbranquiçado dos lençóis. Reflete nos teus olhos dilatados um amor mais inaudível que o ventilador ineficaz, mas encorpora o calor do nosso pacto. Estraga tuas cordas vocais e se entrega aos gritos. Esqueça o que é real e me encarcera na banalidade do teu prazer que escorre na boca feito seiva mal aspirada. Amor é deixar que falem. Amor é assumir o risco de ver a vida passar, arrastar as correntes enquanto nossas línguas formam cadeados. Tornar-se forte, invulnerável e tempestuoso. Eu busco ser humano, eu busco a essência do gosto quase canibal de uma alma cansada e contente, de lábios mordiscados e ardentes. Eu quero a corrida, a loucura, quero beber as tempestades que colhemos no caminho para que dos nossos beijos nasçam os raios e do nosso fôlego nasçam trovões. Não quero o meio termo. Menospreza, meu bem, o pensamento tacanho e mesquinho. Somos nós. Sempre fomos nós. Então, desata e aproveita o que escondemos. Leia a minha clausura e entrega tuas entrelinhas a curto prazo. Desfruta do nosso acaso de hora marcada. Desfaça essa paixão antes que ela vire aliança de suor. Grita. Amaldiçoa. Clama. Por favor, grita. Grita que você me quer, evita os verbos e os pensamentos do passado, urra feito animal ensanguentado, atingido nas pernas, nos seios, nos braços, no coração e no cérebro estimulado. Desaparece dentro da minha vontade. Nós somos retas que se cruzam quando querem. E a trilha do nosso caminho é a maldição do Olimpo, em um céu de deuses tão pecadores e pagãos quanto o meu amor.
Cinzentos

E eu escolhi você, escolhi você sabendo dos teus defeitos, escolhi você sabendo que não era perfeito, te fiz a minha opção, fiz de você a minha melhor opção, e não importa quantas outras opções a vida venha me dá, eu vou escolher você, sempre vai ser você.
Sempre você, só você. 

E, mais uma vez, a gente discute. Mais uma vez eu te mando embora. E, mais uma vez, você fica. Mais uma vez eu desisto de você. E, mais uma vez, você olha para mim e diz que o fim não existe para nós dois. Mais uma vez eu mando você calar a boca. E, mais uma vez, você brinca na hora errada, mandando eu calar. Mais uma vez eu te nego, mais uma vez eu te rejeito, mais uma vez eu tento me convencer de que não preciso de você. E, mais uma vez, eu me engano. Me engano porque eu sei que você tem razão. Eu sei que posso sair da sua vida mil vezes e te mandar embora outras mil, mas sempre vou voltar para o mesmo lugar: o teu lado. E você vai me mostrar que nunca saiu do meu. E, querendo ou não, eu vou acabar acreditando em todas as vezes que você me disse que essa bagunça toda entre a gente, é amor. Não poderia ser outra coisa.
Plenitude. 

Que você perca tudo, menos a felicidade. Quando você estiver cansado da rotina, tente seguir novos caminhos, andar novas ruas, descobrir novas avenidas. Explore, existe um mundo achatado nos pólos esperando por você. Países, pessoas, histórias, carinhos, sorrisos, alegrias, cafés, abraços, cantos, poesias, poetas, procurando-te. Então, vá viver a vida, antes que alguém roube seus sonhos.
Mas jovem, nem tudo está perdido.

Sou humana, é lógico que sim! É claro que fico puta, perco a paciência, perco a fé, perco a vontade, perco o saco, perco o rumo, perco a esperança. Por 24h. Depois eu chamo essas coisas de volta. Porque a gente tem que acreditar. Tem que saber enxergar as coisas na vida. Sempre tem uma saída. Sempre. Sempre existe um novo olhar, um novo caminho, uma nova maneira.
Clarissa Corrêa.

No meu caos sentimental eu me calo, minhas ideias se contradizem desenhando um círculo perfeito no meu peito, um copo, um buraco, um ponto final. Permaneço ali calada com os braços dispostos para trás, embriagada no meu desequilíbrio mental. Ao meu redor não há janelas. Quando olho para cima, um outro círculo perfeito, o avesso de mim. Mais adiante a imagem catatônica de um céu repleto de estrelas, que traçam a quilometragem infinita entre meus sonhos e a realidade concreta da solidão. Dramático? Pode ser. Talvez eu carregue no meu sangue o minimalismo melancólico de Pujol e nas paredes de concreto do seu tórax somente consiga projetar meus dramas pessoais. E quem sabe, enquanto você se ajeita na cadeira do cinema da praça central, eu encontre, no meu abismo redondo, uma estrela mais brilhante que interprete minha alma sem críticas sentimentais.
Elisa Bartlett  

Eu gosto de ser independente, em não ter ninguém para me dizer o que fazer, eu gosto de estar sozinho, não ter que entreter ninguém, ninguém para responder. Mas, às vezes, eu só quero alguém para segurar alguém para me dar o seu casaco quando está frio, ter aquele amor jovem, mesmo quando estamos velhos, sim, às vezes, eu quero alguém para pegar minha mão, pegar-me, puxar-me perto. Então, se você está lá fora, eu juro que serei bom para você, mas eu estou parado olhando para o meu futuro alguém, porque quando for a hora certa você vai estar aqui, mas por enquanto caro ninguém, esta é minha carta de amor. Eu realmente não gosto de grandes multidões, eu tento calar as pessoas porque gosto do meu espaço, mas sim, eu adoraria ter uma alma gêmea.
Fumo oxigênio.

É ela. Não tem jeito. Pode passar dias, meses, anos, o tempo que for, meu coração sempre vai pular de alegria ao ver aquele sorriso. Mesmo que por foto. Ou, simplesmente, ao ler palavras tão simples e pequenas, mas que envolvem tanto sentimento, como um: “tô com saudade” ou “preciso de você perto de mim”. Basta isso. Só isso. Ela é a dona de todo esse amor que eu guardo aqui dentro. Que é ela o motivo de toda essa felicidade, de toda essa paz, de toda essa certeza de que tudo vai dar certo. Agora ou lá na frente. Eu digo e não tenho dúvidas: é ela. Só ela. É tudo por ela, para ela, com ela.
Plenitude.  

Certo dia, o meu professor de história parou a aula e olhou em minha direção, fazendo a seguinte pergunta: “você tem vontade de casar?” Eu, surpresa - até olhei para os lados pra ver se era mesmo direcionada a mim - então respondi: “sim, tenho professor.” Ele então sorriu e voltou a perguntar: “você tem vontade de casar ou de casar-se?” Eu disse que não tinha entendido muito bem a pergunta desta vez. Qual era a diferença? A ortografia? Ele então explicou-me: se você quer ser feliz, se case; mas, se pretendes fazer quem amas feliz, case-se. Meio confuso, não? Eu sei, o amor também é.
Capitule. 

Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade.
Martha Medeiros. 

O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.
Mário Quintana.